BNCC Matemática na Educação Infantil Episodio 05

BNCC | Matemática na Educação Infantil | Objetivo EI01ET03 | Episodio #05

Neste post vamos analisar mais um objetivo de aprendizagem e desenvolvimento proposto pela Base Nacional Comum Curricular, a BNCC, para a Educação Infantil, mais especificamente para bebês, de zero a um ano e seis meses.

Objetivo EI01ET03

Explorar o ambiente pela ação e observação, manipulando, experimentando e fazendo descobertas.
Abordagem das experiências de aprendizagem

Os bebês aprendem com todo o seu corpo e seus sentidos. Por meio de suas ações de explorações, investigações e observações, aprendem sobre o seu meio e as pessoas que dele fazem parte. As experiências iniciais de interação dos bebês com o meio ambiente, participando de situações de cuidado e preservação deste, são importantes para que aprendam a se relacionar com o ambiente de forma positiva e responsável. Nesse contexto, é importante que os bebês possam participar de situações nas quais consigam brincar na areia, brincar com água, deitar, se arrastar ou engatinhar na grama e passear pelo parque no colo acolhedor do(a) professor(a) que está atento(a) a todas as suas manifestações e expressões, buscando enriquecer suas ações, observações, explorações e investigações do meio ambiente.
Sugestões para o currículo

Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC. Para bebês, é possível construir objetivos específicos relacionados ao contato com animais, como, por exemplo, descobrir, por meio de seus sentidos, os seres vivos próximos do seu entorno que lhes atraem. O currículo pode considerar objetivos específicos relacionados à identificação de características dos seres vivos, como, por exemplo, tamanho, cheiro, som, cores e movimentos das pessoas e animais que fazem parte de seu cotidiano. O currículo local pode, ainda, trazer exemplos específicos de seu meio ambiente ou pode também abordar atitudes a serem desenvolvidas nessas situações, como, por exemplo, apreciar e manifestar curiosidade frente aos elementos da natureza, se entretendo com eles.

Assista ao conteúdo deste post no vídeo a seguir!

O objetivo faz parte campo de experiências:

Espaços, tempos, quantidades, relações e transformações.

O código do objetivo de hoje é EI01ET03 e o descritivo é:

Explorar o ambiente pela ação e observação, manipulando, experimentando e fazendo descobertas.

Aparentemente, este objetivo não tem, explicitamente, algo que nos remete à Matemática, assim, de forma direta. Mas isso é porque a gente tá pensando na Matemática dos adultos. Só que os bebês também fazem e aprendem Matemática.

Para começo de conversa, tudo o que existe no mundo é novo para eles. Quando alguém abraça o bebê com carinho e afeto, ele, o bebezinho, tá aprendendo, de algum modo, que existe um lugar onde ele pode se aconchegar e se sentir seguro.

Quando ele começa a chorar, porque essa é a única forma de dizer que está com fome, e em seguida a mamãe chega para amamentar, o bebê também, de algum modo, desenvolve a ideia de causa e consequência, em relação às suas atitudes e o comportamento de quem cuida dele. 

Como os educadores, na escola, ou você, pai ou mãe, pode contribuir para que o bebê que está sob os seus cuidados, desenvolva esse objetivo de aprendizagem? Permitindo que o bebê explore e observe o ambiente onde vive, manipule objetos, experimente situações e faça descobertas.

Em relação à exploração do ambiente, é importante permitir que o bebê brinque com água, caminhe ou engatinhe na areia, se esfregue na grama, toque e aprenda que há limites para puxar o cabelo da mamãe ou do papai e também nos cutucões com as pontas dos dedinhos, que muitas vezes atingem os olhos dos outros.

Em relação à observação, em uma caminhada na rua, ou passeio por um parque, no colo do responsável, o bebê deve ser estimulado a observar a diversidade de pessoas, animais, plantas e cores que estão naquele lugar.

Pessoas com cabelo comprido ou curto, de cores e arranjos diferentes, pessoas altas ou baixas, animais grandes e pequenos, peludos e sem pelos, barulhentos e silenciosos, diferentes tons de pele e de cores de pétalas de flores, folhas grandes e pequenas, cheiro de terra molhada, calor do sol e frescor da sombra, e por aí vai.

Na medida em que o bebê tem diferentes reações ao ter contato com toda essa riqueza e diversidade, ele tem a oportunidade de aprender a se relacionar de forma positiva com tudo isso. Além disso, o bebê também desenvolve noções de preservação desse espaço, compreendendo que ele é parte e responsável pelo lugar em que vive, e por isso precisa cuidar dele.

Sobre a manipulação de objetos, aí a gente pode falar, de forma mais direta, sobre Matemática. Podemos falar da exploração de objetos que rolam e que não rolam, com texturas, tamanhos e massas diferentes. Os sólidos geométricos e outros objetos com essas características são ótimos recursos.

E, como tudo é novidade para o bebê, cada situação é um novo experimento, e cada experimento é uma possibilidade de descoberta. 

Obviamente, estamos pensando na formação integral de um indivíduo que se tornará adulto, mas qual adulto não foi um dia um bebê? Muitas das atitudes e posturas que serão estimuladas agora começarão a ser observadas quando a pessoa não for mais bebê. 

Vale lembrar que essas orientações não significam, de forma alguma, que o bebê vai deixar de ser bebê e vai ficar fazendo um monte de atividades orientadas o tempo todo. Nada disso. O bebê vai continuar sendo bebê e não existe a menor necessidade de ele saber o motivo pelo qual está, por exemplo, brincando na areia. Mas o educador precisa saber que essa exploração da areia é uma oportunidade de aprendizado.  

Os educadores, além de terem todo o cuidado e carinho para com essa faixa etária que requer tanta atenção, precisam ter consciência de que o tempo todo o bebê aprende.

Portanto, é importante que se tenha o que chamamos de intencionalidade pedagógica. Pedagogicamente falando, o bebê não vai ficar solto, brincando por brincar, ele vai aprender o tempo todo. E os objetivos de aprendizagem existem para que os educadores possam avaliar como está o desenvolvimento dos bebês.

Grande abraço! Tchau!