BNCC Matemática na Educação Infantil Episodio 07

BNCC | Matemática na Educação Infantil | Objetivo EI01ET05 | Episodio #07

Neste post vamos analisar mais um objetivo de aprendizagem e desenvolvimento proposto pela Base Nacional Comum Curricular, a BNCC, para a Educação Infantil, mais especificamente para bebês, de zero a um ano e seis meses.

Objetivo EI01ET05

Manipular materiais diversos e variados para comparar as diferenças e semelhanças entre eles.
Abordagem das experiências de aprendizagem

Os bebês aprendem com todo o seu corpo e seus sentidos. Por meio de suas ações de explorações sobre diferentes materiais, descobrem que estes possuem muitas qualidades. Ao fazer explorações com suas mãos, descobrem as texturas dos objetos; com sua boca, conhecem os sabores; com os ouvidos, os diferentes sons; com os olhos, reconhecem diferentes rostos familiares. Nesse contexto, é importante que os bebês possam participar de situações nas quais consigam agir sobre os materiais, repetidas vezes, experimentando gostos, texturas, sabores, odores, sons e tendo a oportunidade de realizar comparações simples entre eles. É importante também que possam brincar, individualmente, em pares, trios ou pequenos grupos, com objetos e materiais variados, como os que produzem sons, refletem, ampliam, iluminam, e que possam ser encaixados, desmontados, enchidos e esvaziados, divertindo-se ao identificar características e reconhecer algumas semelhanças e diferenças.
Sugestões para o currículo

Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC. Para bebês, é possível construir objetivos específicos relacionados ao uso dos sentidos em suas explorações sobre diversos materiais, como, por exemplo, explorar as características dos materiais fazendo uso de suas mãos, pés, boca, nariz e ouvido. O currículo pode considerar objetivos específicos relacionados à descoberta de semelhanças e diferenças dos materiais, como brincar de guardar materiais semelhantes em uma caixa. O currículo local pode, ainda, abordar atitudes a serem desenvolvidas, como interessar-se por explorar diversos materiais, descobrindo e experimentando suas características, e trazer exemplos de materiais comuns em seu território.

Assista ao conteúdo deste post no vídeo a seguir!

O objetivo faz parte campo de experiências:

Espaços, tempos, quantidades, relações e transformações.

O código do objetivo de hoje é EI01ET05 e o descritivo é:

Manipular materiais diversos e variados para comparar as diferenças e semelhanças entre eles.

Todo bebê gosta de pegar as coisas. Muitos levam tudo à boca e, muitas vezes, só assim eles aprendem que não se pode fazer isso com tudo.

Mesmo com essa atitude até perigosa de quem está querendo descobrir como as coisas funcionam nesse mundo tão cheio de novidades, os bebês aprendem. 

Há brinquedos macios e peças de encaixar que são duras. Ou bichinhos de plástico, com a superfície áspera, e bichinhos de pelúcia, com uma textura diferente. Os próprios alimentos possuem diferenças na cor, cheiro, sabor e textura e podem ser, com certeza, organizados segundo um ou mais critérios. E é colocando os alimentos na boca que a criança vai aprender essas semelhanças e diferenças entre os alimentos.

E não só o paladar, mas todos os sentidos podem e devem ser ricamente explorados e utilizados!

Em relação ao sentido do tato, o bebê pode montar e desmontar, encaixar e desencaixar, encher e esvaziar. E também é pelo tato que texturas e diferenças entre quente e frio, leve e pesado são percebidas pelo bebê.

Em relação ao olfato, além dos alimentos que possuem odores específicos, também é possível utilizar esse sentido na exploração da natureza. Algumas plantas são perfumadas, outras não. O cheiro de terra molhada, depois da chuva, é diferente do cheiro da terra seca. O próprio cheiro do sabonete e do xampu, do amaciante usado nas roupinhas que veste, todos esses estímulos vão representar algo para o bebê.

O sentido da visão permite a observação de diferenças de estado físico dos materiais, como líquidos e sólidos. Também é pela visão que o bebê pode ser estimulado, em uma brincadeira, a guardar objetos semelhantes em uma caixa. E essa semelhança pode ser a cor, o tamanho, a forma ou qualquer outra reconhecida pelo bebê. Também é pela visão que se observa a claridade e a escuridão, a transparência, o brilho, a turbidez. 

Os bebês são muito atraídos por luzes que piscam de forma intermitente.

Pensando na combinação da visão com o tato, o bebê também pode ser colocado em contato com materiais rígidos e outros que esticam, para que estabeleça a diferença entre eles.  Ainda pensando nessa combinação, algumas boas bagunças podem ser feitas: mistura de água e terra, geleias, “gelecas” ou melecas, amassar, quebrar, empurrar objetos e por aí vai. 

Voltando aos objetos que emitem luz e piscam, vale lembrar que os bebês também são muito atraídos por sons. E há muitos brinquedos que emitem sons, alguns graves, outros agudos, alguns curtos e outros com duração maior. E, combinando a audição com a visão, existem objetos que emitem luz e som ao mesmo tempo. Os bebês adoram brinquedos com essas características!

Bom, antes de terminar eu quero lembrar que, para o bebê, todos os objetos e situações com os quais tem contato, são oportunidades de experimentação, descoberta e aprendizagem. 

Aos educadores que trabalham com essa faixa etária cabe a responsabilidade de dosar e equilibrar as atividades, potencializando o nível de aprendizagem ao mesmo tempo em que não retiram das atividades a leveza da brincadeira, o que é muito importante para os bebês.

E aí, o que você achou?

Grande abraço! Tchau!