BNCC Matemática no Ensino Médio Episodio 01

BNCC | Matemática no Ensino Médio | Competência 02 | Episodio #03

Como a Matemática pode ajudar os estudantes no desenvolvimento de habilidades que o permitam tomar decisões em sua vida, decisões essas que levem em consideração a ética e que sejam socialmente responsáveis?

Isso faz parte de mais uma proposta da Base Nacional Comum Curricular, a BNCC, para o Ensino Médio.

Assista ao conteúdo deste post no vídeo a seguir!

Vamos ver o que diz o texto dessa competência.

Propor ou participar de ações para investigar desafios do mundo contemporâneo e tomar decisões éticas e socialmente responsáveis, com base na análise de problemas sociais, como os voltados a situações de saúde, sustentabilidade, das implicações da tecnologia no mundo do trabalho, entre outros, mobilizando e articulando conceitos, procedimentos e linguagens próprios da Matemática.

Trata-se de uma competência muito ampla e é preciso que fique bem claro pra gente como que a Matemática se faz presente nela. Veja o que mais a BNCC diz no texto que complementa a competência.

Essa competência específica amplia a anterior por colocar os estudantes em situações nas quais precisam investigar questões de impacto social que os mobilizem a propor ou participar de ações individuais ou coletivas que visem solucionar eventuais problemas.

Nesse sentido, medições e cálculo de perímetros, áreas, volumes, capacidade e massa, por exemplo, são relevantes na proposição de soluções de problemas de uma comunidade que está lidando com questões relacionadas à construção civil. Veja outro trecho do texto que complementa a competência:

O desenvolvimento dessa competência específica prevê ainda que os estudantes possam identificar aspectos consensuais ou não na discussão tanto dos problemas investigados como das intervenções propostas, com base em princípios solidários, éticos e sustentáveis, valorizando a diversidade de opiniões de grupos sociais e de indivíduos e sem quaisquer preconceitos. Nesse sentido, favorece a interação entre os estudantes, de forma cooperativa, para aprender e ensinar Matemática de forma significativa.

Vamos imaginar que exista um terreno vago e a comunidade esteja discutindo como propor uma solução para como aquele espaço seja útil e se torne um espaço público produtivo para a comunidade.

As habilidades matemáticas relacionadas à coleta e tratamento dos dados, cálculos de medidas de tendência central e de dispersão podem ser extremamente úteis nesse caso. Esses dados, uma vez tratados, podem ser apresentados na forma de gráficos ou tabelas e podem compor um relatório a ser encaminhado ao poder público, contendo as demandas e as percepções daquela comunidade.

Além disso, habilidades relacionadas ao cálculo porcentagem e juros, bem como o conhecimento do uso de planilhas eletrônicas podem ser utilizadas na elaboração e controle de orçamento familiar e aplicações bancárias.

E está ligado, também, a uma dimensão da formação integral do indivíduo, capaz de mudar a realidade de uma pessoa, de uma família, de uma comunidade e, também, de um país, que é a educação financeira.

Não dá para pensar em uma Matemática que esteja descolada da realidade. O conhecimento produzido na escola tem que ser aplicável na vida de um cidadão que vive em sociedade. Além disso, esse conhecimento tem que ser útil, uma ferramenta importante, um diferencial na proposição de solução de problemas reais que estão presentes no cotidiano das pessoas.

Grande abraço, bons estudos e tchau!