BNCC Matemática na Educação Infantil Episodio 17

BNCC | Matemática na Educação Infantil | Objetivo EI03ET01 | Episodio #17

Neste post vamos analisar mais um objetivo de aprendizagem e desenvolvimento proposto pela Base Nacional Comum Curricular, a BNCC, para a Educação Infantil, mais especificamente para as chamadas crianças pequenas, de 4 anos até 5 anos e 11 meses.

Objetivo EI03ET01

Estabelecer relações de comparação entre objetos, observando suas propriedades.
Abordagem das experiências de aprendizagem

As crianças pequenas aprendem sobre as características e propriedades dos objetos usando todos os seus sentidos em situações de exploração e investigação. A partir da oportunidade de realizarem repetidas explorações, elas começam a construir conclusões baseadas em suas percepções físicas imediatas, a fazer comparações entre os objetos e a descrever suas diferenças. Nesse contexto, é importante que as crianças pequenas tenham a oportunidade de realizar diversas situações de exploração e investigação de objetos em suas brincadeiras ou em atividades organizadas pelos(as) professores(as), seja individualmente, em duplas, trios ou pequenos grupos; seja no espaço da sala, organizado de forma a desafiá-las e atraí-las em suas investigações, seja no espaço externo, sensibilizadas pelos diferentes elementos da natureza e a diversidade de formas possíveis de explorá-los. É importante que possam participar de situações como explorar relações de peso, tamanho e volume de formas bidimensionais ou tridimensionais e explorar materiais como argila e massa de modelar, percebendo a transformação do espaço tridimensional em bidimensional e vice-versa, a partir da construção e desconstrução. A observação e a escuta atenta do(a) professor(a) permite que converse com as crianças, valorizando seus interesses, necessidades e suas falas, cada vez mais elaboradas, sobre suas explorações, comparações e as descobertas que fazem.
Sugestões para o currículo

Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC. Para as crianças pequenas, é possível construir objetivos específicos relacionados aos tipos de comparação que podem realizar — de tamanhos, pesos, volumes e temperaturas —, estabelecendo relações. O currículo pode considerar objetivos específicos relacionados ao uso de vocabulário próprio ao realizar comparações entre objetos — por exemplo, usar características opostas das grandezas de objetos (grande/pequeno, comprido/curto etc.) ao falar sobre eles. O currículo local pode, ainda, abordar atitudes a serem desenvolvidas, como interessar-se por fazer uso de diferentes procedimentos ao comparar objetos.

Assista ao conteúdo deste post no vídeo a seguir!

O objetivo faz parte campo de experiências:

Espaços, tempos, quantidades, relações e transformações.

O código do objetivo de hoje é EI03ET01 e o descritivo é:

Estabelecer relações de comparação entre objetos, observando suas propriedades.

Quando falávamos das faixas etárias anteriores, havia objetivos semelhantes a esse, mas em um nível de complexidade um pouco menor.

Para os bebês, a ideia era apenas explorar e descobrir as propriedades dos objetos.

Já para as crianças bem pequenas, de até três anos e onze meses, a exploração continuava, mas já aparecia a ideia de descrever as propriedades.

Agora, a coisa é mais séria, estamos falando de estabelecer comparações. 

Naturalmente isso já acontecia, de algum modo, nas faixas etárias anteriores, porque o tempo todo as crianças comparam as coisas, na medida em que fazem explorações e descobertas. Mas agora queremos que as relações sejam estabelecidas por meio de comparação entre os objetos, a partir de suas propriedades.

Como levar as crianças a isso?

Não tem nada de complicado nisso, gente. As crianças vão continuar explorando, investigando e fazendo descobertas. Quanto mais elas fizerem isso, mais elas chegarão a conclusões a respeito dos objetos e serão capazes de descrever as suas diferenças, por meio de comparações. O ambiente da sala de aula e as atividades ali propostas pelos professores devem estimular o estabelecimento de comparações o tempo todo.

Objetos com massas diferentes, para estabelecer relações de leve e pesado, são um exemplo. Mas tem mais.

Relações de tamanho e volume e outras características de objetos tridimensionais também podem ser explorados. Transformar figuras tridimensionais em figuras planas, como a planificação de uma caixa de sapato, ou a tentativa de se planificar uma esfera, uma bola, podem ser situações bem interessantes e desafiadoras.

A diversidade de formas na natureza também é muito grande e precisa ser explorada. E as atividades precisam ser do tipo “mão na massa”. Estamos falando de manipulação de areia, de argila, terra e água, de massas de modelar, que permitem a percepção visual e tátil de mudanças na forma e outras transformações.

É interessante, também, estabelecer objetivos para que as crianças utilizem um vocabulário próprio ao estabelecer as comparações entre os objetos.

Vou te dar alguns exemplos de vocabulário utilizado para comparações e, enquanto isso, você pensa nas atividades que podem ser propostas para o estabelecimento dessas relações, fechado?

  • Mais/menos, leve/pesado, largo/estreito, alto/baixo, maior/menor, grande/pequeno, grosso/fino, curto/comprido, vazio/cheio, plano/não plano, objetos que rolam/não rolam… e igual/diferente, a comparação mais elementar.

Todas essas comparações estão relacionadas a conceitos de massa, comprimento, volume, área, medição, capacidade, número, quantidade, forma e tamanho, para citar alguns.

E aí, consegue pensar em atividades ricas e diferenciadas para desenvolver esse objetivo?

Grande abraço! Tchau!