BNCC Matemática na Educação Infantil Episodio 19

BNCC | Matemática na Educação Infantil | Objetivo EI03ET03 | Episodio #19

Neste post vamos analisar mais um objetivo de aprendizagem e desenvolvimento proposto pela Base Nacional Comum Curricular, a BNCC, para a Educação Infantil, mais especificamente para as chamadas crianças pequenas, de 4 anos até 5 anos e 11 meses.

Objetivo EI03ET03

Identificar e selecionar fontes de informações, para responder a questões sobre a natureza, seus fenômenos, sua conservação.
Abordagem das experiências de aprendizagem

As crianças pequenas aprendem sobre a natureza, seus fenômenos e sua conservação vivendo situações de interação, exploração, observação e investigações sobre os elementos e fenômenos naturais. Nessas oportunidades, as crianças formulam perguntas, levantam hipóteses e buscam fontes de informações para encontrar suas respostas e, assim, ampliar suas noções e enriquecer suas experiências. Nesse contexto, é importante que as crianças pequenas tenham a oportunidade de aprender por meio de sua própria curiosidade e questionamento, tendo o apoio do(a) professor(a), que propicia vivências enriquecedoras, observa e escuta os interesses, curiosidades e as questões das crianças, favorecendo situações nas quais possam utilizar diferentes estratégias de buscar informações, coletar dados e viver novas situações. É importante que tenham a oportunidade de observar e criar explicações para fenômenos e elementos da natureza presentes no seu dia-a-dia (calor produzido pelo sol, chuva, claro-escuro, quente-frio), estabelecendo regularidades, relacionando-os à necessidade dos humanos por abrigo e cuidados básicos — agasalhar-se, não ficar exposto ao sol, beber líquido, fechar ou abrir janela, acender ou apagar a luz —, apontando algumas mudanças de hábitos em animais ou plantas influenciadas por mudanças climáticas, contribuindo para a aprendizagem das crianças de noções, habilidades e atitudes em relação à natureza, seus fenômenos e sua conservação.
Sugestões para o currículo

Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC. Para as crianças pequenas, você pode construir objetivos específicos relacionados aos procedimentos de pesquisa como, utilizar, com ou sem a ajuda do(a) professor(a), diferentes fontes para encontrar informações frente a hipóteses formuladas ou problemas a resolver relativos a natureza, seus fenômenos e sua conservação, como livros, revistas, pessoas da comunidade, fotografia, filmes ou documentários etc., ou pode considerar objetivos específicos relacionados aos procedimentos de pesquisa mais complexos como, por exemplo, reunir informações de diferentes fontes e, com o apoio do(a) professor(a), ler e interpretar e produzir registros como desenhos, textos orais ou escritos (escrita espontânea), comunicação oral gravada, fotografia etc. Você pode, ainda, pode trazer exemplos de fontes de informações que são típicas de sua comunidade ou abordar atitudes a serem desenvolvidas como, por exemplo, valorizar a pesquisa em diferentes fontes para encontrar informações sobre questões relacionadas a natureza, seus fenômenos e conservação.

Assista ao conteúdo deste post no vídeo a seguir!

O objetivo faz parte campo de experiências:

Espaços, tempos, quantidades, relações e transformações.

O código do objetivo de hoje é EI03ET03 e o descritivo é:

Identificar e selecionar fontes de informações, para responder a questões sobre a natureza, seus fenômenos, sua conservação.

Se você está acompanhando essa série de posts, deve ter visto que o objetivo que tratamos no vídeo anterior se refere à formulação de hipóteses e testes em busca de respostas para questões relacionadas a transformações nos materiais, envolvendo fenômenos naturais e artificiais.

Neste post vamos aprofundar um pouco mais na busca por essas respostas.

Não é interessante que a criança obtenha respostas muito complexas, e por consequência, difíceis de serem compreendidas, nem simples e bobas demais, que soam como mentiras ou uma oportunidade de o adulto se livrar do incômodo da pergunta.

Da mesma forma, se as crianças forem acostumadas, mesmo na escola, a terem respostas para tudo, por parte dos professores, elas começarão a acreditar que os professores são a única fonte de conhecimento e informação que existe, de forma restrita.

O mesmo pode acontecer em casa. Muitas vezes as crianças fazem questionamentos aos adultos e nem sempre os mais velhos sabem a resposta. Porém, o que muitos fazem? Acabam simplificando a realidade ou dando uma resposta qualquer, sabendo que a criança vai acabar acreditando naquilo, porque não possuem uma referência mínima da realidade em torno do assunto sobre o qual questiona.

Isso é um problema, porque nesses momentos podem surgir respostas preconceituosas, calcadas no senso comum, que muitas vezes é enganoso e se choca com o conhecimento científico.

Vou dar um exemplo pra vocês: quando criança, eu acreditava que as chuvas caíam só porque a terra estava seca e precisando de água, tudo na medida certa. Também acreditava que o motivo da minha garganta ter ficado infeccionada ou eu ter ficado gripado, isso tinha acontecido porque eu tinha andado descalço.

Existem outras coisas nas quais eu acreditava, mas isso não importa tanto agora.

Bom, eu estou trazendo essas questões porque existe uma forma mais responsável e pedagógica para lidar com os questionamentos das crianças, tão naturais e que devem ser incentivados. E a escola tem um papel fundamental nisso. Muitas crianças não possuem um ambiente acolhedor em casa, para que possam fazer perguntas. 

Muitas crianças são caladas e silenciadas, seja por falta de paciência dos adultos, falta de conhecimento por parte dos adultos, ou mesmo pela ausência de adultos.

E, lembra que eu falei dos pensamentos preconceituosos e calcados no senso comum? Muitas vezes, mesmo que seja com boa intenção, os pais dão respostas simplistas e equivocadas às crianças.

Eu não estou dizendo que o que as crianças aprendem em casa deve se chocar com o que as crianças aprendem na escola, de forma alguma. Porém, a escola tem a obrigação de estimular a criatividade e incentivar a exploração, a observação, o espírito investigativo e a busca por respostas para questões sobre a natureza, com embasamento científico.

E como isso pode ser feito?

Primeiramente, a escuta dos professores deve ser atenciosa e apoiadora. Além disso, a criança precisa ter vivências diversificadas que a leve a buscar informações e respostas a questões naturais e presentes no seu dia a dia. 

Na busca por respostas, as crianças conhecerão a verdade simples que está por trás do fato de termos que tomar bastante líquido, do mal que faz ficar muito exposto ao sol, da importância de utilizar agasalhos no frio, de ter cuidados de higiene e alimentação, de ter um abrigo, um lugar para morar.

E, olhando para os semelhantes, elas poderão começar a questionar por que algumas pessoas possuem esses elementos básicos de sobrevivência, enquanto outros não têm, sequer, água limpa para beber.

É conhecendo os porquês dos fenômenos naturais que elas encontrarão respostas para o que causa as enchentes nas grandes cidades, por que na época do calor, em algumas regiões, aparecem escorpiões e tanta gente fica com dengue e até morre.

Descobrindo esses porquês, elas podem refletir sobre que atitudes podem ser tomadas, em suas próprias vidas, para que haja harmonia entre os seres humanos e a natureza seja preservada.

E quais são as fontes de informação? Se estamos falando de escola, estamos falando de fontes confiáveis, estamos falando de conhecimento científico. É importante que, ao existir uma pergunta sobre um fenômeno da natureza, as crianças sejam incentivadas a buscar, de forma orientada, obviamente, respostas em livros, documentários, revistas, filmes educativos, bem como com profissionais que lidam com o assunto.

Os professores também podem incentivar que, dado um certo questionamento, as crianças construam um tipo de pesquisa que busca respostas em diferentes fontes. Essas informações podem ser reunidas e transformadas em registros na forma de desenhos, fotografia, gravação de áudio e vídeo, apresentação oral ou textos escritos de forma espontânea.

O importante é que, na busca por respostas aos questionamentos sobre fenômenos naturais, as crianças, desde cedo, sejam incentivadas a entender os assuntos com um posicionamento que busca compromisso com a ciência e valoriza a investigação, a exploração, a criatividade e a pesquisa em diferentes fontes.

E aí, o que você achou desse objetivo de aprendizagem e desenvolvimento?

Grande abraço! Tchau!